.

20/01/15

CORPO FÍSICO - O SANTUÁRIO SUBLIME

    

Noutro tempo, as nações admiravam como maravilhas o Colosso de Rodes, os Jardins Suspensos da Babilônia, o Túmulo de Mausolo, e, hoje, não há quem fuja ao assombro, diante das obras surpreendentes da engenharia moderna, quais sejam a Catedral de Milão, a Torre Eiffel ou os arranha-céus de Nova lorque.
        Raros estudiosos, no entanto, se recordam dos prodígios do corpo humano, realização paciente da Sabedoria Divina, nos milênios, templo da alma, em temporário aprendizado na Terra.

        Por mais se nos agigante a inteligência, até agora não conseguimos explicar, em toda a sua harmoniosa complexidade,... 
  • o milagre do cérebro, com o coeficiente de bilhões de células
  • o aparelho elétrico do sistema_nervoso, com os gânglios à maneira de interruptores e células sensíveis por receptores em circuito especializado, com os neurônios sensitivos, motores e intermediários, que ajudam a graduar as impressões necessárias ao progresso da mente encarnada, dando passagem à corrente nervosa, com a velocidade aproximada de setenta metros por segundo
  • a câmara ocular, onde as imagens viajam, da retina para os recônditos do cérebro, em cuja intimidade se incorporam às telas da memória, como patrimônio inalienável do espírito; 
  • o parque da audição, com os seus complicados recursos para o registro dos sons e para a fixação deles nos recessos da alma, que seleciona ruídos e palavras, definindo-os e catalogando-os na situação e no conceito que lhes são próprios; 
  • o centro da fala; 
  • a sede miraculosa do gosto, nas papilas da língua, com um potencial de corpúsculos gustativos que ultrapassa o número de 2.000; 
  • as admiráveis revelações do esqueleto ósseo; 
  • as fibras musculares; 
  • o aparelho digestivo; 
  • o tubo intestinal; 
  • o motor do coração; 
  • a fábrica de sucos do fígado; 
  • o vaso de fermentos do pâncreas; 
  • o caprichoso sistema_sangüíneo, com os seus milhões de vidas microscópicas e com as suas artérias vigorosas, que suportam a pressão de várias atmosferas; 
  • o avançado laboratório dos pulmões; 
  • o precioso serviço de seleção dos rins; 
  • a epiderme com os seus segredos dificilmente abordáveis; 
  • os órgãos veneráveis da atividade genésica 
  • e os fulcros elétricos e magnéticos das glândulas no sistema endocrínico.

        No corpo humano, temos na Terra o mais sublime dos santuários e uma das supermaravilhas da Obra Divina.

        Da cabeça aos pés, sentimos a glória do Supremo Idealizador que, pouco a pouco, no curso incessante dos milênios, organizou para o espírito em crescimento o domicílio de carne em que a alma se manifesta. Maravilhosa cidade estruturada com vidas microscópicas quase imensuráveis, por meio dela a mente se desenvolve e purifica, ensaiando-se nas lutas naturais e nos serviços regulares do mundo, para altos encargos nos círculos superiores.
        A bênção de um corpo, ainda que mutilado ou disforme, na Terra, é como preciosa oportunidade de aperfeiçoamento espiritual, o maior de todos os dons que o nosso Planeta pode oferecer.

        Até agora, de modo geral, o homem não tem sabido colaborar na preservação e na sublimação do castelo físico

  • Enquanto jovem, estraga-lhe as possibilidades, de fora para dentro, desperdiçando-as impensadamente, 
  • e, tão logo se vê prejudicado por si mesmo ou prematuramente envelhecido, confia-se à rebelião, destruindo-o de dentro para fora, a golpes mentais de revolta injustificável e desespero inútil.

        Dia surge, porém, no qual o homem reconhece a grandeza do templo vivo em que se demora no mundo e suplica o retorno a ele, como trabalhador faminto de renovação, que necessita de adequado instrumento à conquista do abençoado salário do progresso moral para a suspirada ascensão às Esferas Divinas.
Fontes:
www.guia.heu.nom.br;
Livro: "Roteiro", de Emmanuel, pelo Médium Chico Xavier;

11/01/15

COMO PODEMOS INTERPRETAR A FRASE DE JESUS: "A tua fé te curou"?

JACOB MELO responde
Coisa desagradável é tirar pirulito da boca de criança. Mas nem sempre só isso o é. Entretanto, quantas vezes passamos anos e anos na vida com verdadeiros bombons deliciando nosso paladar e, um dia, descobrimos um diabetes ou alguma gordurinha localizada a nos pedir reflexão acerca daquilo que é tão doce, tão delicioso! Não é que o docinho mude de sabor, mas a forma como nos relacionaremos com ele precisa mudar.
Muitas vezes, verdades evangélicas e morais são assimiladas de forma tão singela que chegam a não pedir maiores reflexões, principalmente quando favorecem às acomodações. Todavia, quando precisamos de verdades mais eloquentes em nosso íntimo percebemos ser necessário repensar, revalorizar o que temos acrisolado.
Sempre ouvimos que “a tua fé te curou” e, pensando bem, quase nunca nos damos conta de que esta frase não tem aí seu ponto final. Costuma ser acrescida de “e não tornes a pecar, para que não te suceda algo pior”.
É meio parecido com bula de remédios que diz como e para que serve aquilo, ao tempo em que previne das reações adversas e contra-indicações.
E a maior semelhança está exatamente no fato de buscarmos saber para que serve e costumarmos dar pouca atenção aos riscos envolvidos. Mas, por que será que Jesus usou tanto essa exclamação?
Seguramente, ele estava dizendo que a cura é um processo que tem seu disparo inicial dentro de quem quer ser ou precisa ser curado. E ele disse isso de outra forma também: “conhecerás a verdade e esta te libertará”. Libertará do quê? Será que eu sabendo de uma coisa estarei livre dela? Se alguém fuma e sabe dos perigos daí advindos, simplesmente estará livre do fumo ou de seus efeitos só por conhecer os malefícios associados? Dá para se perceber que o entendimento disso tudo não é apenas um chupar de balinhas, mas de processar tudo o que lhe é decorrente e consequente.
Lógico que alguém já pode disparar: e quem está em coma? E quem não acredita? E quem não quer?
Não tem vezes que a cura os atinge igualmente enquanto que outros que querem e fazem por onde atingir a cura, não parece que ela deles foge desbragadamente?
A fé é sentimento íntimo, inato e que se desenvolve com o avanço intelecto-moral do ser humano.
Intelecto-moral porque se fundamenta nos sentimentos mais íntimos e profundos do ser e vai se robustecendo à medida em que a confrontação com a razão amplia-lhe a base. Significa dizer que essa fé não se liga necessariamente a uma crença ou doutrina em particular e sim à maneira com que se lida com o plausível e o impalpável, o real e o imaginável, o denso e o sutil. Assim há quem verbalize não ter fé, porem, no modo de vida, expresse exatamente o oposto; de igual forma ocorre o reverso.
É de se destacar o caso da mulher hemorroíssa (Matheus, 9, 20-22) que apenas tocou a veste de Jesus e se curou. Ele disse a ela que foi a fé que agiu, mas fica a questão: por que será que a fé não atuou desde o momento em que se instalou em seu coração, mas apenas quando ela Lhe tocou as vestes? Este é um caso por demais significativo. A fé funcionou ou fez funcionar uma atração fluídica surpreendentemente eficaz, mas, ainda aí, foi necessário um toque, um quê de detalhe adicional para que a manifestação material se desse. Ou seja: a fé a curou sim, mas não a fé da crença ou de uma espera inativa e sim a fé que levou-a a mover-se até a fonte, até o “campo energético” por excelência que a curaria.
Por fim, quando Jesus assevera que se tivermos uma fé do tamanho de um grão de mostarda, ao tempo em que sinaliza que ainda estamos com uma fé absurdamente pequena em nossas almas, Ele nos conclama a uma percepção mais rica e profunda desse sentimento. A fé verdadeira pede movimento, ação, retirada de obstáculos, empenho, esforços constantes e vitórias. É assim que a doce fé do simples crer que é e será deverá ser substituída pela fé da ação, da perseverança, da busca, da luta, do mergulho interior levando-nos grandiosos para o exterior.
A nossa fé nos curará sim. Mas precisaremos ir além de comer docinhos. Precisamos nos alimentar de vida para a Vida nos presentear com as curas reais.
  
Jornal Vórtice ANO II, n.º 10, março/2010

07/01/15

Menino de 3 anos recorda vida passada, identifica assassino e localiza corpo enterrado


Foto de arquivo de uma criança apontando (Thinkstock)
Foto de arquivo de uma criança apontando (Thinkstock)
O universo é cheio de mistérios que desafiam o nosso conhecimento atual. Em “Além da Ciência”, o Epoch Times coleta histórias sobre alguns estranhos fenômenos para estimular a imaginação e abrir a mente para novas possibilidades. Elas são reais? Você decide.
Um menino de 3 anos de idade, da região das Colinas de Golã, perto da fronteira entre a Síria e Israel, afirma que foi assassinado com um machado em sua vida passada. Ele mostrou para os adultos de sua aldeia o local onde o assassino enterrou seu corpo, e incrivelmente, eles encontraram o esqueleto de um homem lá. Ele também indicou aos adultos onde a arma do crime estava, e através de escavações, eles encontraram um machado no local.
Em seu livro, “Children Who Have Lived Before: Reincarnation Today” (Crianças que Viveram Antes: A Reencarnação Hoje), o terapeuta alemão Trutz Hardo conta a história deste menino, junto com outras histórias de crianças que aparentemente recordaram suas vidas passadas com precisão verificada. A história do menino foi testemunhada pelo Dr. Eli Lasch, que é conhecido por desenvolver um sistema médico de Gaza como parte de uma operação do governo israelense na década de 1960. O Dr. Lasch, que morreu em 2009, relatou a surpreendente história para o Sr. Hardo.
O menino pertence à etnia drusa, e em sua cultura, a existência da reencarnação é aceita como fato. Sua história, no entanto, teve o poder de surpreender sua comunidade.
Ele nasceu com uma longa e vermelha marca na cabeça. Os drusos acreditam, assim como algumas outras culturas, que marcas de nascença estão relacionadas com a morte em vidas passadas. Quando o menino tinha idade suficiente para falar, ele relatou à sua família que havia sido assassinado com um golpe de machado na cabeça.
É um costume os adultos levarem as crianças, com 3 anos, para a casa de sua vida anterior, caso a criança recorde o local. O menino sabia em qual aldeia ele havia morado, deste modo eles foram até lá. Ao chegarem à aldeia, o garoto lembrou qual era seu nome em sua vida passada.
Os moradores do vilarejo disseram que o homem que o menino afirmava ser a sua reencarnação tinha sido dado como desaparecido quatro anos antes. Os amigos e família pensavam que ele poderia ter se perdido no território hostil das proximidades, como era costumeiro acontecer.
O menino também lembrou o nome completo do seu assassino. Quando confrontado com as alegações, o rosto do suposto assassino ficou branco, segundo Lasch, no entanto, ele não confessou o assassinato. O menino então disse que poderia levar os adultos ao local onde o corpo foi enterrado. No local, eles encontraram o esqueleto de um homem que possuía um ferimento na cabeça, que correspondia à marca de nascença do garoto. Eles também encontraram o machado, a arma do crime.
Diante desta evidência, o assassino admitiu o crime. Dr. Lasch, o único não pertencente à etnia druso, esteve presente ao longo de todo o processo.

MENSAGEM DO DR. BEZERRA DE MENEZES SOBRE A DESENCARNAÇÃO DA DRA. MARLENE NOBRE

.

 

Mensagem Psicografada pelo médium médico Dr. Roberto Lúcio, em sessão realizada em 5 de janeiro, no Hospital Espírita André Luiz, em Belo Horizonte, MG.

.

– “Filhos amados:

– O momento é de serenidade oração. Cuidem para que os sentimentos que se fazem presentes não sejam móvel de perturbação à nossa querida filha e irmã de ideal.

– Não se pode esquecer de que o coração valoroso e digno é sempre amparado, seja qual for a situação ou o momento.

– A companheira vê-se agora amparada pelos que lhes antecederam na jornada ao plano espiritual.

– Toda a sua bagagem deve ser motivo para o acolhimento afetivo da parte de vocês.

– A fragilidade do aparelho físico já não comportava o vigor do seu espírito, jungido à matéria apenas pelas necessidades da tarefa.

– A vitalidade da sua alma persiste e é preciso que as vibrações emanadas só sejam motivo de amparo e conforto.

– Não se sintam órfãos. Acima de tudo, o movimento e o ideal abraçado por todos se irradia do coração do Mestre.

– Cuidem de viver e honrar toda a bagagem e herança que ela lhes deixou.

– Prossigam na certeza de que no momento certo e oportuno ela retornará à charrua, fazendo-se farol a orientá-los para a continuidade.

– Elevemos ao Pai o nosso agradecimento por tudo o que ela realizou e suportou para que o ideal Médico-Espírita se espalhasse pelo planeta.

– E que cada um devolva-lhe em carinho, serenidade e esforço, de modo que nada se perca daquilo que foi proposto.

– Tenham a certeza de que o amparo se fará sempre, não só por ela, mas por todos aqueles que assumirem a continuação do movimento.

– Recebam o abraço paternal do servidor humílimo,

Bezerra.”

06/01/15

DESENCARNA DRA MARLENE NOBRE


Partiu hoje para o Mundo Espiritual nossa tao querida mestra e amiga Dra. Marlene Nobre. Sabedores de seu imenso mérito espiritual pela maravilhosa tarefa realizada em prol da Doutrina de Allan Kardec, guardamos a certeza de que se encontra envolta em muita luz e harmonia, sendo recebida com muita alegria por todos os companheiros que a antecederam na grande viagem. Exemplo maior de trabalho em benefício do próximo, de fé inabalável e de exemplificacao. Embora com os coracoes tristes pela separacao temporária, e já apertados de saudades, desejamos a ela nessa nova etapa evolutiva toda a felicidade e toda a harmonia, tendo a certeza de que ela logo dará continuidade as sua tarefas no Mundo Maior. Recebe Dra. Marlene querida, as flores de nossa amizade e gratidao. Que Deus a abencoe.

Unsere liebe Lehrmeisterin und Freundin, Dr. Marlene Nobre, ist heute zur geistigen Welt zurückgekehrt. Bei Ihrer großartigen Aufgabe, uns unermüdlich die Lehre von Allan Kardec in ihrem ganzen Umfang auf vielfältige Weise immer wieder bewusst zu machen, hat sie sich ganz sicher viele Verdienst erworben. Wir sind überzeugt, dass sie von allen Freunden, die bereits vor Ihr die große Reise angetreten haben, mit großer Freude empfangen wird. Sie war uns allen hier ein großes Vorbild der Nächstenliebe und des unerschütterlichen Glaubens. Obwohl unsere Herzen wegen der vorübergehenden Trennung traurig sind und wir sie sehr vermissen werden, wünschen wir ihr auf ihrem jenseitigen Weg viel Harmonie und Freude. Wir sind sicher, dass sie ihre Arbeit in der spirituellen Welt sehr bald fortsetzen wird. Wir schicken Ihnen, liebe Dr. Marlene, wunderschöne Blumen als Zeichen unserer Dankbarkeit und Verbundenheit. Möge Gott sie segnen.

09/04/14

150 Anos de lançamento de O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO

 

 

Este ano de 2014 marca um jubileu especial para nós, espíritas, e, de alguma forma, para toda a Humanidade: o aniversário de 150 anos da obra básica "O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO", publicado por Allan Kardec, em 1864.

Clique aqui para ler ou baixar o arquivo PDF do livro em formato digital, Numa Linguagem Simplificada, versão editada por Louis Neilmoris.

"O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO" (em língua francesa "L'Évangile Selon le Spiritisme") dá maior enfoque a questões éticas e comportamentais do ser humano. Nela são abordados os Evangelhos canônicos sob a óptica da Doutrina Espírita, tratando com atenção especial a aplicação dos princípios da moral cristã e de questões de ordem religiosa como a da prece e da caridade.

Na introdução da obra, Kardec divide didáticamente os relatos contidos nos Evangelhos canônicos em cinco partes: os atos ordinários da vida de Jesus, os milagres, as predições, as palavras que serviram de base aos dogmas, e os ensinamentos morais. Segundo Kardec, se as quatro primeiras foram, ao longo da história, objeto de grandes controvérsias, a última tem sido ponto pacífico para a maior parte dos estudiosos.

Evangile selon le spiritisme.jpg

Assim, é especificamente sobre essa parte que Kardec lança o olhar espírita. Longe de pretender criar uma "Bíblia espírita" ou mesmo de objetivar uma reinterpretação espírita desse livro sagrado, Kardec se empenha em extrair dos Evangelhos princípios de ordem ético-moral universais, e em demonstrar sua consonância com aqueles defendidos pelo espiritismo. Utiliza-se, na maior parte da obra, da célebre tradução francesa de Lemaistre de Sacy (1613-1684). Eventualmente, para solucionar divergências, Kardec recorreu ao grego e ao hebraico.

Ouça a narração do livro pela janela abaixo:

A obra traz ainda um estudo sobre o papel de precursores do cristianismo e do espiritismo, como por exemplo Sócrates e Platão, analisando diversas passagens legadas por estes filósofos que demonstrariam claramente essa condição.

O Evangelho espírita substitui a Bíblia?
Para os leigos e os mal-informados, há uma ideia de que esta obra kardequiana é a Bíblia dos espíritas, ou a substituição das chamadas Escrituras Sagradas dos cristãos tradicionais. Isso não é exato.
Antes de tudo, é preciso dizer que a Bíblia representa para os católicos e evangélicos protestantes um livro sagrado, um código absoluto da verdade e da palavra de Deus. O Espiritismo não toma os textos bíblicos nessa dimensão, mas sim como uma obra humana (ainda que inspirada por entidades espirituais), que, por essa condição humana, é falível e limitada aos conhecimentos dos seus autores e ainda muito questionável, em razão da imprecisão de sua transmissão (inicialmente oral, depois por cópias manuais).
Recomendamos a leitura de "A VERDADE SOBRE A BÍBLIA..." de Louis Neilmoris).
O livro "O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO", igualmente não é um código absoluto, não deve ser tomado como livro sagrado, nem mesmo um catecismo, uma receita pronta para ser pregada e obedecida — como, aliás, nenhuma obra espírita o pretende ser. Escrito e publicado por Allan Kardec, sob a inspiração de diversas entidades espirituais, esta obra é uma teoria moral e filosófica, que se baseia na interpretação da mensagem de Jesus — o "Evangelho", ou seja, a "Boa Nova".
Como qualquer outra obra, ele pode e deve ser ponderado pela razão e crítica pessoal, posto à prova da nossa observação e experiência de vida. Porém, dentro desses seus 150 anos, suas admoestações morais têm sido bastante salutares, esclarecendo-nos melhor dos propósitos do Cristo para nosso comportamento ético-moral, guiando-nos pelo caminho do bem, da fraternidade e da evolução espiritual.
E por esse tesouro a nós ofertado pelo plano espiritual, temos muito o que agradecer ao nosso Pai celestial e, de fato, cultivar em nós a reforma íntima que O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO nos propõe.

http://espiritismoemmovimento.blogspot.de